São Domingos FC

Agradecimento ao Pedro Fontes pela cedência das fotografias.

A Fundação

A data da sua fundação, remonta aos princípios da década de 50.


A Origem

Por impulsionamento de alguns “carolas”, residentes na Rua de S. Domingos, nomeadamente o Sr. António (relojoeiro), em cuja casa foi a primeira sede do grupo, vindo mais tarde a ser transferida para a casa de Joaquim Veloso, que também foi dirigente destacado desta colectividade, Abílio “Laró” e Francisco Lima “Xis”.
O primeiro campo de futebol, localizava-se onde actualmente existe a Av. Dr. Manuel Vieira de Matos.
Como o mesmo não oferecia as mínimas condições para a pratica de futebol, foi preciso mover influências ao mais alto nível local, para arranjar um campo com condições.
Nesse sentido, a direcção do grupo resolveu solicitar a influência do Presidente da Câmara na época e Sócio nº1 do clube, Comendador Santos da Cunha, que residia na Rua de S. Vítor (junto á igreja), e a cuja casa se deslocou o Presidente, o Sr. Veloso e outros dirigentes.
Foi com o poder de argumentação do Sr. Veloso – segundo relatos recolhidos, que passado pouco tempo, teriam á disposição do grupo o campo do seminário maior, na Rua de Stª Margarida, ocupado na altura pelos escuteiros..
Na ausência de campeonatos regionais, os jogos eram combinados entre as várias colectividades, sendo disputados na zona daqueles que possuíam um recinto para tal.
Nesses dias, era uma autentica festa. Os adeptos deslocavam-se em grupo a pé, juntamente com os jogadores, até ao campo de futebol, e no final do jogo, especialmente em caso de vitória, era um romaria no regresso a casa.
Um dos treinadores com maior destaque, que pertenceu ao S. Domingos foi o Sr. Palmeira (Pai), que tinha sido jogador do Sporting Clube de Braga e, mais tarde, chegou a ser também seu treinador.
Por influência do seu “mediatismo”, eram vistos de vez em quando a assistir aos jogos, conhecidos futebolistas de outro calibre, nomeadamente, Ferreirinha, que foi jogador e mais tarde treinador do Braga e do Tirsense.


Os craques

· Casimiro, que disputava renhidamente o lugar de guarda-redes com o Zeca “Palabrecas”.
· Francisco Lima “Xis”, era um autêntico esteio no centro da defesa
· Pedro Fontes, extremo esquerdo.
· Manuel Lima, antes de se tornar um tocador de quase todos os instrumentos, especialmente, acordeão e guitarra.
· Joaquim Veloso, além de dirigente muito “palavroso”, também era jogador.
· Sírio e muitos outros que irão ser incluídos.


Atletismo

Na altura, tentou-se a formação de uma equipa de atletismo, com o impulsionamento de José Carvalho, e da qual também fazia parte, Abílio “Marmota”.
Como era uma modalidade muito pouco desenvolvida, e um pouco desdenhada pelos outros, pois, só queria ir para o atletismo quem não tivesse grande jeito para o futebol, desporto rei por excelência. Conta um dos atletas, que: enquanto os outros jogavam, nós andávamos ali ás voltas do campo. Parecíamos uns tolinhos.





Fontes:José Carvalho Zeca “Palabrecas”