Rua de São Domingos

É uma das artérias típicas da parte antiga da freguesia de São Victor.
Começa na rua de São Victor e termina rua Bento Miguel.
Já se chamou Rua do Assento (1857), Rua da Tamanca (1857), Caminho de Monte d’ Arcos (1857) e Cangosta de Monte d’Arcos (1883-84).
Foi confirmada como Rua de São Domingos na sessão de 3 de Agosto de 1942.
Em 1840 era habitada por sombreiros e por ela transitavam frequentemente carros para a condução de lenhas e lãs para as manufacturas. Aberta até ao ponto de encontro com a rua D. Manuel Vieira de Matos, foi prolongada a partir de 11 de Março de 1899 até ao largo de Monte de Arcos. O prolongamento da rua obrigou ao corte da Quinta de Penella, propriedade de António Silvério de Paiva. O projecto e orçamento para a abertura da rua custou 2.520 reis. Na parte norte do actual edifício do Seminário de Nossa Senhora da Conceição existiu um recolhimento (da Tamanca) para mulheres, do qual se conservou até meados da década de 60 do século XX uma capela, com porta para a rua. Na fachada da mesma existia uma escultura de São Domingos, em granito, a qual se encontra num dos jardins do Seminário. A rua de São Domingos mantém ainda um conjunto de casas típicas no troço mais antigo, entre a rua D. Manuel Vieira de Matos e a rua de São Victor. O traçado aqui é mais estreito e está aberto ao trânsito apenas num sentido. O outro troço, até à rua Bento Miguel, é mais largo e por ele circulam automóveis nos dois sentidos.





rua69

Esta casa(nº69), agora ao abandono, foi em tempos a mais densamente habitada da Rua de S. Domingos.
Podia equiparar-se a uma autentica residencial. Chegaram a residir em simultâneo, largas dezenas de pessoas e mais de dez famílias, a maioria delas muito numerosas.