Homenagens

Justino Dias Pereira,”Tino”

1955-2011

O Tino simboliza na perfeição o significado da palavra amigo. O seu ar sempre bonacheirão, o seu sorriso simples mas contagiante, a sua disponibilidade e a sua calma constante são a imagem mais forte da amizade que a todos distribuía.
É exactamente essa imagem do Tino que a nós, seus amigos, nos permite afirmar:
“ETERNAMENTE TINO!”

José Faria, 9 de Agosto de 2012


Fernando Leite Gonçalves

1965-2011

O Fernando era um amigo que dava gosto estar ao pé dele. Quando estava bem disposto a contar anedotas era o maior! Além disso, quando era preciso ajuda, apesar de estar debilitado, estava sempre disposto para ajudar. Sentimos muito a sua falta!

Pelé, 30 de Julho de 2012




Manuel Carvalho Meireles Ribeiro

1951-2010








José Costa Mota “Ganito”

1941-2010

Partiu para outro lugar o nosso comum amigo “Zé Ganito”.
Era um homem que trazia sempre consigo a boa disposição, a gracinha, o ar de quem tinha sempre algo para dizer, para comentar, para brincar. Quem melhor do que ele para contar historias sobre o “caurdo da Tamanca”? Ocorre-me à ideia a satisfação com que ele dizia, quando falava do Sr. Monteiro, cozinheiro do seminário que distribuía a sopa: – o Zé Ganito hoje não tem direito a tora.
Pelo pouco que descrevi do muito que poderia ter escrito acerca do Zé Mota e tendo sempre presente na memoria o facto de que sempre que me encontrava, vir com a lengalenga “ai Casimiro, ai Casimiro, ai Casimiro não sejas porreta” e a satisfação com que ele o dizia, leva-me a considera-lo o mais carismático e o que melhor encarnava o espírito dos “AMIGOS DE S. DOMINGOS / S. VITOR”.
Onde quer que tu estejas Zé, a minha eterna saudade.

Casimiro Pereira, 14 de Junho de 2011

Feliciano Araújo

1920-2007

Era um amigo que fazia questão de participar em todos os encontros anuais. Era o mais idoso de todos os participantes,mas,mesmo com alguma dificuldade física,marcava sempre presença. Era o sócio nº74 da associação! Foi residente durante muitos anos na Rua de São Domingos.
Prestamos-lhe a devida homenagem a 10/Junho/2007.






João Baptista Tinoco da Silva

1941-2007

Foi um amigo muito participativo em todas as actividades que se realizaram na freguesia. Estava sempre disponível com o mesmo espírito da sua juventude e ao longo de várias gerações que se iam revezando na organização. Nunca regateou esforços na realização de qualquer evento, especialmente nas fogueiras de Santo António, apesar da diferença de idades.
Foi Presidente e roupeiro dos Mundiais.
Prestamos-lhe a devida homenagem em 10/Junho/2007




Miguel Ribeiro

-2006

Foi um dos principais impulsionadores da Associação Amigos de S.Domingos/S.Victor. Conhecido em toda a região pelo facto de ser filho do servo de S.Victor e mais tarde seguir as pisadas do pai. Era um exímio tocador de sinos, sendo muitas vezes requisitado para tocar os sinos,como só ele sabia, em dias de festas e funerais. Participou na organização dos primeiros encontros anuais e foi pela sua mão que passou a fazer-se um arraial popular todos os anos no final dos encontros. Foi o autor da criação da bandeira da associação. Era muito popular na freguesia, tendo uma especial propensão para todo o tipo de festas e convívios.
Foi jogador dos Mundiais e dos Panteras.
Prestamos-lhe a devida homenagem em 10/Junho/2007.




Monsenhor Ferreira da Silva, Prior de São Victor

1913-2006

Foi o principal dinamizador das actividades desportivas e culturais na freguesia. Conseguiu com o seu trato afável, cativar a simpatia de várias gerações de paroquianos.Durante o seu apostolado como prior de S.Victor,foram construídas as salas de catequese, o salão paroquial e o ringue.
A grande maioria dos filmes que hoje recordamos foram vistos no “cinema de S.Vitor”, onde semanalmente e durante vários anos, foram projectados filmes de todos os géneros ao preço de 1$00. Disponibilizou-se sempre para arranjar um campo de futebol, gratuito, quando era preciso disputar um jogo, além de haver sempre um espaço disponível para servir de sede aos grupos desportivos.
Conquistou com a sua personalidade e a sua simpatia muitos crentes para o seio da igreja, especialmente jovens na altura.
Foi,além disso,um exemplo de despojamento de bens materiais. Por tudo isso, e muito daquilo que não se encontra nesta breve resumo, foi merecidamente distinguido pela nossa associação como Sócio Honorário nº1.
Prestamos-lhe a devida homenagem em 10/Junho/2006.




Octávio Rodrigues Pacheco, “Tábio”

1934-2005

Era uma figura típica. Pacato, mas senhor do seu nariz. Fervoroso adepto do Sporting de Braga reagia com prontidão àqueles que pretendiam denegrir a imagem do seu clube.Foi engraxador de profissão. Uma das reações mais destemperadas a que ele reagia referia-se ao facto de todos os anos dizerem que os sapatos do “Judas” eram do Tábio.
Prestamos-lhe a devida homenagem em 10/Junho/2006.




António Rodrigues Machado ,”Tone Bacarau”

1972-2002

Fruto da sua origem humilde estava sempre disponível para ajudar naquilo que lhe fosse pedido. Participou em vários encontros dos amigos disponibilizando-se para desempenhar as tarefas mais ingratas. Devido às vicissitudes da vida faleceu precocemente no auge da idade.
Prestamos-lhe a devida homenagem em 10/Junho/2004




Américo ,”Pífaro”

Animador nato! A boa disposição era a sua imagem de marca. Conhecido pelo pífaro, devido à sua mestria com esse instrumento. Era também um hábil tocador de outros instrumentos,como a viola, entre outros. Participou em diversas colectividades e grupos musicais, sendo conhecido em toda a região. Chegou a participar em alguns encontros anuais dos amigos.
Prestamos-lhe a devida homenagem em /Junho/




Carlos Alberto Silva ,”Chipenda”

1954-1994

Foi ao longo da sua vida um amigo sempre pronto a ajudar. Participou em várias tarefas relacionadas com grupos desportivos, chegando a ser dirigente em alguns deles. Exímio jogador de damas.
Prestamos-lhe a devida homenagem em 10/Junho/1998






“Zé Noites”








Carlos Dias Pereira ,”Carlota”








“Zé Lauro”

Foi um amigo que esteve em quase todas as peripécias próprias da nossa juventude. Foi também jogador dos Panteras.
Prestamos-lhe a devida homenagem em 10/Junho/1999






Hilário

Era um prodigioso inventor. Foi o precursor do “cinema em casa”. Fruto de uma imaginação fértil, não conhecia a palavra impossível. Tocador de viola fez a transição da música tradicional para o género POP, sendo um cantor de razoável qualidade. Com uma simples tábua, um elástico e um arame fazia uma espingarda com projécteis e com gatilho. Habilidoso em diversas áreas tinha pela electrónica um gosto especial.
Prestamos-lhe a devida homenagem em 10/Junho/1999




Aníbal

Foi um amigo que participou em algumas actividades da freguesia. Embora não fosse residente, foi um dos fundadores dos Panteras!








Tilinho








Monteiro








Alvarim








António ,”Escovilheiro”